quinta-feira, 13 de junho de 2013

A Ponte de Soutelo, em Tendais.


Ponte em granito lançada sobre o rio Bestança, de um arco de volta perfeita, medindo 9 m de diâmetro; piso de cavalete, com 2,5 m de largura (face interior das guardas); piso lajeado com blocos e lajes de grandes dimensões; guardas de ambos os lados, formadas por blocos e lajes, com talhe grosseiro, dispostas segundo o lado maior; os elementos em falta foram restaurados com cimento (parte central da ponte). Segundo o autor deste verbete constante do sítio Portal do Arqueólogo, Domingos de Jesus da Cruz (que efectuou prospecção em 2005), data a ponte de Soutelo como obra da Idade Média.

Atente-se ao que autor anónimo escreveu no jornal cinfanense a Justiça, de 1892, e repare-se no nosso sublinhado:


Ponte de Soutello


Soutello é uma pittoresca povoação da freguezia de Tendaes, situada na margem direita do rio Bestança. Habitada por um povo laborioso, ha muito que tem sido completamente esquecida dos municipios, que no partilhar do dinheiro destinado a viação pública, a tem deixado ao mais completo abandono; por isso os caminhos são em grande parte, intransitaveis, e como a povoação está separada do resto da freguezia pelo Bestança, difficeis se tornam as comunicações, sendo necessário, ás vezes, dar grandes voltas, para tomar a unica ponte que a liga á freguezia. Ha talvez 20 annos que nada se faz em beneficio d’esta importante povoação, e apenas ha menos de um anno, a camara mandou alli fazer um pequeno concerto (sic) n’um caminho, o que é muito pouco para as necessidades da povoação, e para o que é justo e equitativo.
A freguezia de Tendaes, cortada por differentes ribeiros, contem em si umas seis ou sete pontes, algumas importantes, sendo curioso que sómente uma fosse mandada construir pelo municipio: a de Enxidró [sic], situada sobre o ribeiro Fervença (1), construida de pedra, notavel por ligar a freguezia de Tendaes á de Sinfães. A não ser esta, e uma compostura feita o anno passado, na ponte que liga esta freguezia a Bustello, todas as outras são devidas a expensas de particulares; assim, a importante ponte chamada a Nova, ou de Covellas, que une Tendaes a Ferreiros, e mede 36 metros de cumprimento por 3 de largo, foi mandada fazer em 1762, por Diogo de Sequeira Vasconcellos, natural de Covellas. A ponte da Sadorninha também de pedra, sobre o riacho da Egreja, que une os 2 povos de Meridãos e Quinhão, foi feita pelos proprietários de Tendaes, ignoramos a epocha.
O povo de Quinhão mandou fazer sobre o mesmo ribeiro, em 1840, uma ponte de madeira para sua servidão, a qual mais tarde, foi reformada e feita de pedra. Em 1842 foi também construida a expensas do povo de Soutello, Granja e Cabo de Tendaes, uma ponte de madeira sobre o Bestança, sendo mais tarde substituida por uma ponte de pedra, que lá existe actualmente. Sobre o ribeiro de Fadazes, perto de Chã, foi tambem em 1842, construida uma ponte de madeira, pelo povo de Soutello, que está hoje muito velha.
D’esta relação, que não garantimos ser completa, se vê que o municipio concorreu apenas com a menor parcella: e, todavia, a freguezia de Tendaes, e por tanto o povo de Soutello, todos os annos tem pago para o municipio as contribuições que lhe são devidas.
Não é por isso de mais que agora a camara municipal contemple de algum modo aquelle desprotegido povo; ha muito que elle vem fazendo sentir a urgente necessidade de uma ponte sobre o Bestança, que, perto de Chã, os una a Tendaes; esta ponte é de grande utilidade não só para o povo de Soutello, mas também para o da parte norte de Tendaes, que para passar áquella povoação, ou para Bustello e mais freguezias da serra, com carro, tem de dar uma grande volta, que não daria se esta ponte existisse. E o que se diz da parte norte de Tendaes póde dizer-se com egual razão da freguezia de Sinfães.
Este periodico apezar de politico, advoga, como sempre tem feito, os interesses dos povos, quando justos, os quaes põe em primeira plana, e superiores a toda a politica. Recommendando pois, á vereação municipal a mencionada ponte quando o estado do seu thesouro o permitta, não fazemos mais do que cumprir o nosso dever; assim como não regatearemos elogios a quem concorrer para o bem d’este concelho, por meio de melhoramentos julgados necessarios, seja grego ou seja troyano o auctor d’elles.

Notas:
(1) outro nome atribuído ao ribeiro de Enxidrô, ou das Fontaínhas, que divide as freguesias de Cinfães e Tendais. Esta ponte, que ainda existe, deve ser das poucas locaisde fábrica medieval, embora tenha sofrido alterações na época moderna e contemporânea. Serve actualmente de passagem a estrada municipal das Pias ao Urgal.

Speech by ReadSpeaker