segunda-feira, 4 de junho de 2012

À volta dos "pelourinhos" de Tendais.

 Pseudo-pelourinho de Tendais (1997), lugar de Enxidrô
[foto de Nuno Resende (c) todos os direitos reservados]

Na segunda edição do livro do sr. Eurico de Ataíde Malafaia, Pelourinhos Portugueses, publicado pela Imprensa nacional da Casa da Moeda em 2005, vem indicado como pelourinho de Ferreiros de Tendais, uma coluna que foi içada em 1997 à beira da estrada no lugar de Enchidrou (a grafia é do mesmo autor). Ora nem este pilar teve alguma vez a função de pelourinho, nem Enchidrou se situa ou situou alguma vez no concelho de Ferreiros de Tendais. O lugar chamado Enxidrô situa-se no termo da freguesia de Tendais e integrou o extinto concelho com o mesmo nome e limites, que alçou a sua picota no lugar de Quinhão, junto à igreja matriz, próximo do adro, como convinha a castigos públicos que se praticavam nos pelourinhos. O que resta do pelourinho de Tendais, fomos encontrá-lo em 2000, metade a servir de esteio ao portão de uma habitação particular e a outra parte arrumada numa corte, então a ser desmantelada. E era este o seu estado.


 Presentemente desconhecemos o destino destas pedras que, compostas, deveriam constituir um pelourinho do período manuelino, muito semelhante ao do próximo concelho do Rossão:

[Fotografia extraída de: Correia, Alberto; Alves, Alexandre; Vaz, João Inês- Castro Daire. Viseu: Câmara Municipal de Castro Daire, 1995.]

Sobre o paradeiro do pelourinho de Ferreiros de Tendais - que poderia estar localizado nas imediações da igreja, como em Tendais - nada sabemos. O único original, tido como pelourinho do concelho de Sanfins, é o de Nespereira. O da vila é uma reconstituição livre do século XX, pois deveria estar nas proximidades da casa de audiências primitiva, abaixo de Minhoso e á vista da velha igreja matriz. Oportunamente voltaremos a este assunto.

Speech by ReadSpeaker