segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Cinfães do Douro, ou apenas Cinfães?

Um dos erros mais comuns que se comete ao escrever ou ao referir-se ao concelho Cinfães é denominá-lo Cinfães do Douro. Esta designação não existe nem nunca existiu como designação oficial. De resto, só se utilizam as expressões "do Douro", "da Serra", "da Beira", "velha", "nova", etcª, quando são conhecidas duas ou mais localidades com o mesmo nome, como as inúmeras Oliveiras que, para se diferenciarem geograficamente entre si acrescentaram o topónimo ou macro-topónimo do território em que estão localizadas (ex.º Oliveira do Douro e Oliveira da Serra). Ora, não existe em Portugal outra povoação com o nome de Cinfães, pelo que nunca foi necessário estabelecer qualquer diferenciação geográfica.
A confusão para a denominação Cinfães do Douro deve residir em dois factos: o primeiro, o mais óbvio, de que Cinfães se encontra próximo daquele rio e daí surja a associação entre ambos; o segundo facto prende-se com o topónimo Sanfins que foi, até 1855, o nome de um dos concelhos que se extinguiu para originar o actual município cinfanense. Pois bem, existem, ao longo do vale duriense, duas (outrora importantes) povoações chamadas Sanfins. Uma em Santiago de Piães e outra no actual concelho de Alijó. Como ambas foram sedes de município até ao Liberalismo, houve necessidade de distingui-las pela sua localização.
Apesar de Sanfins, próximo a Piães, ficar relativamente perto do Douro, recebeu o epíteto "da Beira", pois até ao século XX (antes de ser criada a Província do Douro Litoral) situava-se nessa região e a Sanfins de Alijó, ficou sendo "do Douro" por se encontrar no coração daquela região demarcada. Ora, Cinfães e Sanfins são palavras foneticamente muito próximas e é natural que parte da confusão resida nesse facto. É afinal um absoluto desperdício de palavras e até um contra-senso acrescentar "do Douro", mesmo que, por motivos turísticos que se queira aproximar ao rio uma localidade que, infelizmente, surge amiúde nas notícias por motivos menos honrosos. De resto não existe Baião do Douro ou Resende do Douro.
O topónimo Cinfães é suficiente para nomear esta localidade, de resto hoje, e desde 1855, composta equilibradamente por uma parte serrana e uma  "zona" ribeirinha. O seu caráter reside, aliás, nesse nome único na toponímia portuguesa.

Speech by ReadSpeaker