segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Guiães (ou Cinfães)

Como aventámos na Monografia de Cinfães, editada em 2000 (Pelouro da C.M. Cinfães), cremos que a localidade de Guiães que Eça refere, pela boca de Jacinto e de José Fernandes no romance «A Cidade e as Serras», poderá ser Cinfães. Admitimos tal hipótese, não apenas pela semelhança dos topónimo s mas pela distância a Tormes e pela descrição da paisagem de Guiães que bem poderia caracterizar a de Cinfães. Se não, «ouçamos»:

«As historias, muito simples e muito caseiras, que eu lhe contava, de Guiães, do abbade, da tia Vicencia, dos nossos parentes da Flôr da Malva, tão sinceramente o interessavam que eu encetára, para seu regalo, a chronica completa de Guiães, com todos os namoricos, e as façanhas de forças, e as desavenças por causa de servidões ou d'aguas. Tambem por vezes nos enfronhavamos, com afferro n'uma partida de gamão, sobre um bello taboleiro de pau preto, com pedras de velho marfim, que nos emprestára o Silverio. Mas nada de certo o encantava tanto como atravessar as casas, pé ante pé, até uma saleta que dava para o pomar, e ahi ficar encostado á janella, sem luz, n'um enlevado socego, a escutar longamente, languidamente, os rouxinoes que cantavam no laranjal.»

Eça de Queirós, A Cidade e as Serras, 1901 [consulta online aqui]

Speech by ReadSpeaker